Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Falar de ti..

por Carina, em 11.01.12

Oh minha estrelinha hoje a felicidade está a ser demasiada, há tantas pessoas que gostam de ti, sabes? Meninas pequeninas que mal te conheciam mas que viam que o teu olhar não mentia, meninas maiores, bem maiores que nós, que te viram nascer, crescer, que te viram cair e te deram a mão para te levantar, sabes, todos gostam de ti e do que és! Hoje todos te lembram não com tristeza, mas com saudades, saudades do teu sorriso, do teu brilho no olhar, saudades do teu companheirismo, da tua amizade pura e verdadeira, todos te lembram com um sorriso no rosto pois foi essa a imagem que nos deixaste na cabeça e no coração, de onde nunca sairás. Hoje sinto-me uma menina feliz sabes? Poder partilhar com a tua mãe os momentos mais hilariantes da tua vida, momentos que faziam de ti o que eras, os últimos em que te vimos, os momentos mais felizes da tua vida, aqueles em que ias contra tudo e todos e depois voltavas para trás sem ser capaz de dizer “tens razão”. Lembro com tantas saudades, mas com um sorriso tão grande tudo o que vivemos, as nossas conversas infinitas que duravam horas e horas, não tinham fim e muitas vezes nem sentido, falávamos de tudo e de nada…falávamos de mim, de ti, de nós. Falávamos do futuro, dos nossos sonhos e expectativas, e tu tinhas tanto para viver e construir – a vida foi tão injusta em te tirar do caminho dos sonhos – mas levou-te para um sítio tão melhor. Já viste a quantidade de pessoas que falam contigo mesmo sem te verem? Tornaste-te omnipresente, estás em todo o lado, com todos os que te querem bem. Eu sinto-te aqui agora – larga-me a mão, quero escrever, não consigo parar de falar sobre ti, volta mais logo para os meus sonhos! É difícil estar frente a frente com a tua mãe, não sei o que se dizer quando se perde um filho, mas hoje senti que um abraço, ou um aconchego lhe chegava e eu pude dar-lhe isso, pude mimá-la assim como tu sempre fazias. Pude rir-me das histórias que ele me contou, pude sorrir ao relembrar tanta coisa, pude dar o que melhor tenho, as tuas lembranças felizes e o teu sorriso estampado no meu rosto. Sabes como sou quando começo a falar não me calo, e há tanto para falar de ti e de nós. Lembraste bem de como nos conhecemos? Foi o momento mais caricato daquele primeiro ano de secundário, daqueles três anos em que todos os dias tinha que levar contigo a reclamar com o meu mau feitio matinal. Adorava ser sempre a tua dupla a E.Física e não fazer nada de jeito a não ser rir-me contigo, adorava falar mal das professoras e preparar-me para me atirar para as tuas cavalitas. Adorava as tuas mensagens de D’Juan “Bom dia jeitosa” quando sabias perfeitamente que ias receber uma resposta seca e má “Não sejas parvo. O que queres?”. Ai, ai, minha estrelinha se pudesse falar de tudo o que vivemos juntos não chegaria uma resma de folhas, não chegaria um ano a escrever, não haveria tinta para tanta coisa, não haveria lágrimas para chorar por todos os momentos em que me fizeste ser tão feliz. És a minha força, a luz que me guia e que vou fixar eternamente para nunca te perder do meu caminho. És o meu orgulho, és tu… meu Moreto, João Moreto!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:14



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Janeiro 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031




Links

Caixinha de segredos